header banner
Default

Professor de história diz a alunos que Hamas "não é terrorista"


Table of Contents

    Fachada azul do Colégio Anchieta, em Porto Alegre, com prédios laranjas ao fundo

    Caso foi registrado no Colégio Anchieta, em Porto Alegre (RS); escola investiga episódio

    Copyright

    PODER360

    Um professor de história do 9º ano no Rio Grande do Sul está sendo investigado pela instituição em que dá aula depois de dizer a estudantes que a organização extremista palestina Hamas era “um grupo político”. Em um vídeo que circula nas redes sociais, ele também aparece corrigindo os alunos que chamavam os militantes de “terroristas”.

    O caso foi registrado na 2ª feira (30.out.2023) no Colégio Anchieta, em Porto Alegre, por uma das estudantes que presenciaram o momento na sala de aula. O colégio se pronunciou sobre o ocorrido em nota (leia no final desta reportagem).

    Na gravação, o professor diz: “Bombardear hospitais em que civis morrem também pode ser visto como uma ação terrorista. No entanto, você chama Israel de terrorista? Aí que está a questão. Não existe certo e errado nesse processo, são pontos de vista. […] Isso aqui, o Hamas, é um grupo político que tem a hegemonia na região de Gaza”. A aula tinha como tema a guerra entre Israel e o Hamas.

    Ele fazia referência ao episódio em que uma bomba foi lançada no hospital de Al-Ahli na Faixa de Gaza, em outubro deste ano. Ainda não se sabe a autoria do ataque, mas o Hamas defende que a bomba partiu de Israel. Já Tel Aviv acusa o grupo palestino de atingir o hospital durante um lançamento falho que se desviou da rota.

    A partir da fala do docente, os alunos começam a questionar os argumentos apresentados. “Eles [Israel] só atacaram depois do Hamas [atacar]”, diz uma voz ao fundo no vídeo. O professor declara, em seguida, que “a visão de que Israel está certo e os palestinos estão errados” é equivocada. Um outro aluno reforça que Israel está apenas se defendendo, ao que o docente responde: “Isso, então, possibilita entrar numa área e matar crianças palestinas?”.

    Assista (4min53s): 

    “Há muito tempo já houve ocupação por parte de Israel em áreas que deveriam ser destinadas a criação do Estado palestino, e o Hamas não existia. Ele surgiu em decorrência disso. Ele, um grupo político, alega que não reconhece o Estado de Israel”, continua o professor no vídeo.

    Em comunicado oficial, o Colégio Anchieta lamentou o ocorrido e afirmou que “está averiguando o episódio, ouvindo pessoas da comunidade educativa e acompanhando os desdobramentos para discernir sobre as providências a serem tomadas”.

    O Poder360 contatou a escola nesta 4ª feira (1.nov.2023) para questionar sobre providências específicas com relação ao professor, mas, segundo a instituição, nenhuma medida oficial foi tomada até o momento.

    Eis a íntegra da nota do colégio:

    “O Colégio Anchieta lamenta o ocorrido durante uma aula de História do 9° Ano na segunda-feira, dia 30 de outubro de 2023. Dentro do processo de parceria escola, aluno e família, a Direção está averiguando o episódio, ouvindo pessoas da comunidade educativa e acompanhando os desdobramentos para discernir sobre as providências a serem tomadas.

    “Entendemos que nossa responsabilidade é agir cuidando dos nossos estudantes e de todas as pessoas que fazem parte de nossa comunidade. Objetivamente, precisamos, em contraponto ao mundo marcado pelo conflito e pelas dificuldades relacionais, estabelecer, o mais breve possível, o clima de normalidade, fundamental para a melhor condução do processo de ensino-aprendizagem.

    “Estamos cientes de que os conflitos fazem parte do cotidiano escolar, cabendo à Instituição a mediação educativa dos fatos, à luz dos princípios que regem a educação da Companhia de Jesus, pautada pela defesa inconteste do diálogo, da isenção e de uma cultura da paz, não compactuando com qualquer ato de violência ou de terrorismo.

    “Relembramos que nosso Colégio, em seu Projeto Educativo, caracteriza-se como espaço de construção de conhecimento e de uma convivência plural regida pelo respeito aos princípios, aos valores inacianos e ao bem comum. Reafirmamos a disposição de manter abertos todos os canais de acolhida, escuta e diálogo com a comunidade escolar.”

    Sources


    Article information

    Author: Gabriel Watson

    Last Updated: 1699148043

    Views: 1004

    Rating: 4.6 / 5 (31 voted)

    Reviews: 81% of readers found this page helpful

    Author information

    Name: Gabriel Watson

    Birthday: 2012-05-23

    Address: 88602 Rivera Curve Suite 672, Port Tristanbury, AZ 74852

    Phone: +3887382693417404

    Job: Paramedic

    Hobby: Running, Animation, Stamp Collecting, Traveling, Cycling, Gardening, Graphic Design

    Introduction: My name is Gabriel Watson, I am a accomplished, talented, Open, venturesome, spirited, unswerving, enterprising person who loves writing and wants to share my knowledge and understanding with you.